quinta-feira, 21 de abril de 2011

Por que não me deixa ver teus olhos? Não posso lê-los, e isso me deixa confusa. Quero ver tua alma, saber o que se passa em tua mente. Mas teus olhos, eles são segredo. Mistério profundo, preciso desvendá-los. Você é nublado, é sombrio. E eu aqui, clara e límpida perante a ti, não escondo nada. Meus olhos não se escondem, abrem meu peito e revelam tudo. Minha boca mente, porque é necessário mentir, é necessário disfarçar o que meus olhos exibem. Mas tu não me mostras nada. Ficas escondido na tua escuridão, não posso definir se mentes, não posso ver a veracidade de tuas palavras, porque não posso compará-las com teus olhos. Oblíquos e nublados e sombrios. Sê claro,  límpido. Eu sou impecável, com olhos que me despem e te exibem os devaneios de minha mente. Sorte minha que não és bom leitor de olhos, e é preciso sê-lo. Sê leitor de mim. Desvenda-me. Sou tão visível, tão aberta, e ainda não me lês, pobre de mim. Precisamos nos ler, é fundamental. Abra-se para mim, quero ler teus olhos, tão oblíquos. Desembaça teus olhos, quero-os claros. Vamos, quero teus olhos, quero-os reflexos de tua alma, sem segredos, desvendar teus mistérios ocultos, invadir tua mente, invadir-te pelos olhos.

2 comentários:

Caco Alcino disse...

as pessoas falam exatamente isso de mim! Que sou um mistério, sombrio...nublado. Poucos conhecem o segredo de ler meus olhos.

Dhay S. disse...

Talvez seja necessário se deixar desvendar às vezes. Pense nisso.

Postar um comentário