sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011


Enrolada sobre si, não lhe importava onde, como ou quando.
Só queria saber o porquê.
Por que com ela? Por que com ele? Por que agora? Por quê?!
Porque amara demais? Porque não soube amar?
Porque foi cuidadosa? Porque era displicente? Por quê?!
E como uma vela no escuro, brotou-lhe a resposta. Porque tinha que ser. E foi.

2 comentários:

Rafael Bardo disse...

olá! só agora que vi seu comentário...muito obrigado pela passagem la no blog. Achei seu blog muito interessante também, além do visual ser nota 10. Sobre o meu texto vc pode ficar à vontade para publica-lo no seu blog. se quiser manter contato add meu msn: rafael_dasein@msn.com
abraços

Filipe Dias disse...

Obregado pelo seu comentario, te seguindo tbm.

Duvidas, isso tudo que diz o amor, talvez devemos parar de perguntar e se jogar no amor sem para-quedas sem meno de machucar.

Postar um comentário