sábado, 22 de janeiro de 2011


Se acaso me quiseres,
Sou dessas mulheres
Que só dizem sim.
Por uma coisa à toa,
Uma noitada boa,
Um cinema, um botequim.

(...)

E eu te farei as vontades,
Direi meias verdades,
Sempre à meia luz.
E te farei, vaidoso, supor
Que é o maior e que me possuis.

Mas na manhã seguinte,
Não conta até vinte,
Te afasta de mim.
Pois já não vales nada,
És página virada,
Descartada do meu folhetim.

1 comentários:

anytimeandwhere disse...

AHAHAHAHAHAHAHA!
Adorei demais isso. Queria ser essa mulher!

Postar um comentário